Caridade (Poemas Proibidos)

Não lutei por você.

Abri a porta das nossas almas,

Deixando que as essências agissem.

Pois é a natureza que importa,

Enquanto que as ações se contradizem.

 

Deixei a gaiola da relação aberta,

Quando o rouxinol fugiu,

Sem questionar ou olhar para trás.

E assim, a vida seguiu…

Sem a interferência do incapaz.

 

Naquele momento,

Minha alma se expandiu,

Uma vez que a incerteza era audaz,

Enquanto que o medo não mais insistiu.

No fim, compreendi a triste verdade…

Que não lutava por ti, mas por mim…

Porque eu era a única criança que sonhava.

 

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Related posts