O impeachment de Solange Pereira de Almeida é a única opção para Rio Bonito

Considerando que as contas públicas não batem desde o início do governo; que o transporte universitário voltou a sofrer com a superlotação, colocando nossos jovens em risco na estrada; que a saúde e a educação estão precárias; que Rio Bonito está literalmente abandonada pelo poder público, incluindo o centro da cidade; bem como a condição judicial da prefeita, concluo que devemos pensar no método mais rápido, barato e mais eficiente para colocar o Município nos eixos. Podemos aguardar o cumprimento da Justiça, ou podemos adiantar o fardo com o pedido de IMPEACHMENT de Solange Pereira de Almeida. Isso caberia à Câmara dos Vereadores, aos grupos políticos e as Associações. Tenho certeza que o ato teria o apoio popular.

Com o impeachment de Solange, surgiriam, da Câmara dos Vereadores, dois candidatos ao cargo de prefeito para as Eleições 2016: – Marquinhos Luanda e Reis. Todavia, o governo seria automaticamente conduzido ao vice-prefeito, Anderson Tinoco, que convocaria a Câmara dos Vereadores para a análise governamental e das contas públicas, bem como para constituir seu gabinete de urgência, até que a situação se ajustasse ao termino do mandato.

Uma coisa é certa: – Não haverá acordo algum entre os servidores públicos municipais quanto ao plano de cargos e salários, bem como o piso salarial nacional para os professores, enquanto Solange for a Prefeita. Enquanto isso, o comércio, a indústria e os serviços perdem dinheiro, porque a maior contratante do Município não dá condições da economia local respirar.

Se os vereadores analisarem a condição ambiental, concluirão que a melhor alternativa é o impeachment, pois, assim, todos sairão ganhando. Todavia, insistir com a ideia de que tudo está ótimo, quando não está, será o mesmo que cometer suicídio político em 2016. Aliás, qual vereador desejará ficar ao lado da Prefeita, diante do quadro e do caos que a cidade se encontra, mesmo com o asfalto?

Acredito que com a saída da Solange, o nosso Hospital Regional Darcy Vargas, a saúde e a educação terão uma melhor chance de recuperação, pois, sobrará um ano de orçamento para serem investidos na cidade, na forma correta e com transparência. Aliás, o Anderson Tinoco foi expurgado do governo, por desejar o melhor para Rio Bonito, o que confrontava diretamente os interesses do grupo político dominante.

Está na hora da Câmara dos Vereadores tomar uma posição popular e justa para os riobonitenses. Caso contrário, os riobonitenses serão mais rigorosos com os critérios na hora de depositarem o voto nas próximas eleições. Principalmente, após as sessões extraordinárias na tentativa da aprovação rápida e silenciosa da mensagem 02/2016, que altera a diretoria do IPREVIRB, criando cargos e aumentando salários, como o exemplo o cargo do procurador, com o mandato de 06 anos, quando o Município e o IPREVIRB alegam problemas financeiros, propondo descontar os encargos dos aposentados e pensionistas.

Por fim, se a sociedade riobonitense não se mobilizar para afastar a prefeita do poder, a Câmara dos Vereadores possivelmente aprovará a venda dos terrenos e imóveis do nosso Município e em doses parceladas, além do empreendimento milionário do Estacionamento Privativo, que é a menina dos olhos da atual presidência da Câmara. Em suma, só sobrarão empréstimos e dívidas para serem pagos ou ignorados, cujos resultados comprometerão as aposentadorias dos servidores públicos municipais e os serviços públicos na nossa cidade, porque dinheiro não dá em pé, exigindo trabalho, planejamento, gestão e logística para ser ampliado e aplicado na forma correta.

Por Nadelson Costa Nogueira Junior

Related posts